19 de abril de 2011

Por que evangélico não reza?

O termo "rezar" está ligado a repetição de uma "oração" decorada, onde se repete várias vezes a mesma coisa.
E a Palavra nos diz:
E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos.
Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem. (Mateus 6:7-8)

Logo abaixo, no versículo 9, está o Pai nosso, que é um modelo de oração, não deve ser repetido mecanicamente, esse é o conceito de reza. Jesus disse que nós não deveríamos orar como os gentios com palavras repetidas, como se Deus não soubesse o que nós haveríamos de falar, por isso Ele nos deu o Pai nosso como modelo de oração, nele vemos todos os elementos de uma oração verdadeira: adoração, petição, agradecimento, etc.

Fazendo uma pesquisa sobre esse assunto encontrei em um fórum a seguinte declaração:
"É A PRÓPRIA BÍBLIA QUE ENSINA A PRÁTICA DE REPETIR AS ORAÇÕES
[...]
CRISTO REPETIU AS MESMAS PALAVRAS, REPETIU A MESMA ORAÇÃO! POR QUE NÃO DEVEMOS IMITAR CRISTO?"
E utilizou como base o texto de Mateus onde Jesus chega a Getsêmani.
"Então Jesus foi com seus discípulos para um lugar chamado Getsêmani e disse-lhes: "Sentem-se aqui enquanto vou ali orar".
Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se.
Disse-lhes então: "A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo".
Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: "Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres".
Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. "Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora? ", perguntou ele a Pedro.
"Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca".
E retirou-se outra vez para orar: "Meu Pai, se não for possível afastar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade".
Quando voltou, de novo os encontrou dormindo, porque seus olhos estavam pesados.
Então os deixou novamente e orou pela terceira vez, dizendo as mesmas palavrasDepois voltou aos discípulos e lhes disse: "Vocês ainda dormem e descansam? Chegou a hora! Eis que o Filho do homem está sendo entregue nas mãos de pecadores. 
Levantem-se e vamos! Aí vem aquele que me trai! " (Mateus 26:36-46)

A pessoa que fez a declaração se referia ao termo grafado no versículo 44.
Eu acredito que Jesus não estava nos ensinando a rezar e sim nos mostrando que Ele veio ao mundo por nós e sofreu bastante. Nesses versículos Ele se demonstra homem, feito de carne, como nós.
Jesus estava angustiado, triste, porque sabia que seria preso e sofreria muito até sua morte. E quanta vezes nós já nos encontramos em uma situação que nos deixasse com vontade de desistir, com medo de encarar o que viria pela frente?
E Jesus fez o que todo filho de Deus deve fazer, orou.
E é também neste ponto que vemos outra demonstração de que Jesus se fez homem, porque ele orou várias vezes e, como diz a bíblia, na terceira vez disse as mesmas palavras.
Não há relação com reza, acreditar nisso é distorcer a Palavra de Deus. No desespero e na angústia, nossas orações podem ter a mesmas palavras, os pedidos podem ser os mesmos, porque não é algo mecânico, não fomos ensinados a repetir essas palavras todos os dias, essa é a diferença.
Tanto que Deus nos ouve, abençoa e já não é necessário orar pelo que já foi recebido.
Jesus é o único mediador: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem." (I Timóteo 2:5)Não é necessário que recorramos a alguém parar pedir por misericórdia, bençãos, não é preciso que ninguém fale por nós, o Senhor nos dá livre acesso pra termos contato direto com Ele. Deus também nem se importa se você é ruim no português, Ele só quer que você converse com Ele. De filho pra Pai, de amigo pra Amigo.

Colaboração: Clébio Lima

Que Deus te abençoe!
Beijo beijo,
Renata.

Comentário rápido:

3 comentários:

Agora quando alguém vem até mim e diz: "Aí, tô passando por uns problemas, reza por mim, tá?"
Eu não vou dizer: "REZAR??? TÁ AMARRADO, SEU HEREGE!"
Fala sério, né.
Eu falo: "Claro! Pode contar sempre com as minhas orações."
O Brasil é um país de grande massa católica não praticante, para essas pessoas "rezar" é força de expressão, já que de fato, elas não praticam a reza.
Uma vez um amigo pediu que eu rezasse por ele e eu disse que tudo bem, daí ele virou e disse: "Rezar não, né? Você ora." E eu falei: "Isso mesmo!" hehe ;)

Cara Renata, você reza também e também ora. As 2 palavras são sinônimas, ou seja, tem o mesmo significado na língua portuguesa.

Orar vem do latim orare; e rezar, do latim recitare, que também deu em português recitar.
Já em latim, os verbos orare e recitare têm sentidos muito próximos: o primeiro significa “pronunciar uma fórmula ritual, uma oração, uma defesa em juízo”; o segundo, “ler em voz alta e clara” (portanto, o mesmo que em português recitar).
Entretanto, para orare prevaleceu na latinidade e nas línguas românicas o sentido de rezar, isto é, dizer ou fazer uma oração ou súplica religiosa.

Se estudarmos a origem latina (rezar em latim é “recito”) da palavra “rezar” vamos descobrir que ela traz um significado de “recitar”, “ler em voz alta”, “apresentar lendo”, “citar”, “pronunciar uma fórmula”, “repetir”, “dizer de cor”. Este estudo da raiz e da significação do termo “rezar” nos mostra que tal palavra se aplica melhor às preces prontas, de autoria de terceiros, que aprendemos e repetimos.




Já o verbo “orar” tem suas raízes no termo latino “oro”, que significa “dizer”, “falar”, de onde também se deriva o termo “oral”, ou seja, “dito”, “falado”. Este entendimento se encaixa melhor com as preces na forma de uma fala, uma conversa. Orar é abrir o coração a Deus, como a um amigo.