1 de julho de 2011

Um daqueles dias

Histórias reais ou não, onde o nosso convívio parece pedir por nossa vida com Cristo. São histórias tão simples e tão práticas que o nome do personagem principal não é exposto propositalmente, pois ele pode bem ser eu como ser você.

Minha mãe acabou de me ligar, me pediu pra ver uma informação na internet. Eu estava vendo meu seriado preferido na Tv, que por sinal estava passando um episódio inédito.
— Ah, mãe... Depois eu vejo...
Ela insistiu: — Eu estou dentro da loja, vê isso pra mim, por favor!
Eu nem sequer me movi do sofá, tentei formular uma resposta pra dúvida dela e assim, tentar desligar o telefone. Mas ela insistiu novamente, o estresse me subiu a cabeça e eu disse que iria até o computador de uma maneira bem hostil. Ela desligou o telefone chateada.

Agora, sentada em frente ao PC, caçando a informação que minha mãe queria, eu penso: No momento em que levantei do sofá, cheia de raiva, eu disse que hoje era um daqueles dias que tudo conspira pra tirar minha paciência. Desde que eu acordei um monte de coisa já aconteceu pra que eu ficasse estressada e acumulando o mau humor. Mas, agora Deus já falou ao meu coração e me disse que tipo de dia eu estou vivendo. 
Hoje, na verdade, é um daqueles dias que eu estou sendo provada. Que tudo aquilo que ouço sobre amor ao próximo, paciência, fazer o bem, vai ser posto em prática, ou não. E que vergonha eu estou sentindo por ter escolhido ignorar os meus próprios princípios, por ter escolhido não praticar o que eu digo para os outros ser o certo.

E eu também lembro que essa história de perder oportunidade de pedir perdão, não é coisa de novela. Conheço gente que não teve tempo de se desculpar, que carrega no peito uma dor, uma vontade de voltar no tempo pra desfazer o que fez, não falar o que falou. O tempo é muito duro, o que foi, foi; e não será de novo. 

Deus está me provando, e eu, por pouco me deixo levar pelo caminho do mundo. Mas foi apenas um desvio, pois pra estrada de Deus eu sempre posso voltar. 
— Oi, mãe... - no telefone — O nome da marca é Brown
— Ah... Então vou levar dessa.
— Mãe, desculpa por ter falado daquele jeito. Desculpa, tá?
— Tá bom... Eu só queria comprar o certo pra não precisar voltar aqui.
— Então, tá. Tchau.
— Tchau, já estou voltando.

O que eu sinto agora é uma mistura de alívio, gratidão a Deus pela oportunidade de pedir perdão e num teor maior, eu me sinto vitoriosa, forte e com um aprendizado renovado sobre Deus.
O tempo é duro, mas o Senhor é Dono de tudo; se Ele quiser me dar tempo de voltar atrás, Ele dará. Quanto mais eu andar perto de Deus e me mostrar ansiosa por aprender mais sobre Ele, o tempo não será um problema.

Deus te abençoe,
Renata.

Comentário rápido:

1 comentários:

Quantas vezes isso ja aconteceu comigo,quantas vezes eu me peguei fazendo totalmente o contrario do que eu dizia ser o certo, do que eram meus principíos. As vezes nos esquecemos que estamos nesse mundo para fazer a diferença, oportunidades aparecem em nossas vidas e as vezes deixamos escapar ou nem percebemos, somos provados a todo momento e devemos estar sempre atentos para não fazer besteira. Gloria a Deus pela sua graça e seu imenso perdão, sempre que me dou conta de que estou fazendo algo da maneira errada ou quando cometo um erro procuro pedir perdão a Deus, a cada dia aprendo um pouquinho mais, e a cada dia tenho a chance de fazer a diferença e ser melhor do que fui no dia anterior.
Me identifiquei muito com esse post =D
Deus abençoe Re